Renato Gameiro
 
 
 

A VENDA CONJUNTA E ÚNICA DE POTROS NO BRASIL NOS MOLDES DE KEENELAND

         Por que é tão importante a interação? Porque seja ela crítica ou destrutiva, ainda não teríamos abandonado o estágio das cavernas se a mesma não fosse feita. Você, quando tende a fechar-se em suas ideias e expressá-las sem ter uma volta, acaba se tornando - querendo ou não - o dono da verdade. Mas esta verdade, mesmo que válida, não passa de sua verdade. Ela muitas vezes atinge apenas seus anseios.
Qualquer visão unilateral, mesmo que perspicaz, tende a erigir uma vontade própria que, como mesmo se define, é própria no momento que é vista e defendida de apenas um prisma. Daí, a importância dos leitores desta coluna (e de meu blog) expressarem suas dúvidas e discordâncias. E o principal de tudo: a visão e o conhecimento visto sob outro prisma. Aquele que por desconhecimento daquele que escreve muitas vezes é omitido.
Venho defendendo aqui que a comercialização de nosso produto inédito seja feita em moldes mais modernos e com diminuição de custos. Uma data, um local e, por puro desconhecimento de causa, pensei em Bagé, que é a nossa Disneyworld. E o José Carlos Fragoso Pires Júnior, que é da mesma opinião sobre a comercialização de nosso produto inédito, apresentou-me outro local, que parece ser mais racional, pelo menos para o início desta nova tomada de ação.
Leiam e reflitam.
Há muito tempo, já conversei este assunto com diversos criadores e cheguei à conclusão de que, salvo algum outro lugar que eu desconheça, só existe um local para fazer um grande leilão de potros no Brasil, que possa angariar a grande maioria daqueles que querem vender seus produtos.
Este lugar já existe, e se chama Parque Estadual de Exposições Assis Brasil (PEEAB), no município de Esteio (RS).
A seguir, vou elencar algumas vantagens logísticas, tais como:
1) Fica, de carro e segundo o Google, a 16 minutos do Aeroporto Internacional Salgado Filho na cidade de Porto Alegre, ou cerca de 17Km de distância. Saindo do Salgado Filho e virando à esquerda voce irá para Porto Alegre e virando à direita irá para Esteio, onde se encontra o PEEAB.
2) O PEEAB é uma propriedade imensa onde ocorre anualmente diversos eventos, inclusive a EXPOINTER, maior feira agropecuária da América do Sul,  há muitos anos maior que a de Palermo na Argentina.
3) O PEEAB tem 141 hectares de área e segundo o site oficial, tem
- 45,3 mil metros quadrados de pavilhões cobertos
- 70 mil metros quadrados de área para exposição
- 10 mil vagas para estacionamento interno, com seguro e distribuídas da seguinte forma:
- 400 no Portão 4 - Autoridades;
- 500 no Portão 5 - Expositores e Imprensa;
- 3.450 no Portão 10 - Expositores e Imprensa;
- 250 no Portão 11 - Expositores (área de camping);
- 3.600 no Portão 15 - Visitantes;
- 1.800 no Portão 16 - Expositores do SIMERS;
- Postos médicos para atendimento ao público, localizados nas quadras 04 e 36
- 19 locais para julgamentos
- 9 locais para leilões
- Restaurantes e lancherias
- Auditórios
- Agências Bancárias 
- Telefones públicos
- Internet
Além disto, já existem prontas, 450 cocheiras para alojamento de equinos, e um imenso espaço para se montar quantos mais boxes forem necessários a fim de alojar mais potros. 
4) Do e para o Aeroporto Internacional Salgado Filho existem diversos voos por dia para todas as capitais brasileiras, principalmente, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, da onde virá a maioria dos eventuais compradores.
5) Na cidade de Porto Alegre existe uma enorme infraestrutura hoteleira que poderá acomodar os mais variados gostos e bolsos.
6) Na região de Bagé nasce 1/3 da produção nacional de PSI e em todo o Estado do Rio Grande do Sul nasce 50%, ou seja, metade da produção nacional de PSI. Bagé seria o lugar ideal, mas infelizmente não tem a infraestrutura e a logística para um grande leilão desta monta requer, principalmente, voos comerciais regulares todos os dias.
7) Como a EXPOINTER é realizada anualmente nas duas últimas semanas do mês de agosto, a data do leilão poderia ser agendada para o mês de maio ou junho em cada ano, meses onde já ocorrem a maioria dos leilões de PSI atualmente.
8) O leilão seria nos moldes de Keeneland, ou seja, com início às 10h da manhã e sem interrupções até as 17h, claro que se trabalhando com no mínimo dois leiloeiros. Neste tempo, creio que poderiam ser vendidas cerca de 250 cabeças por dia. Se o número de inscritos for superior, poderíamos agendar 2 ou até 3 dias subsequentes.
9) Não há necessidade de se dizer o tamanho da economia e risco que seriam economizados com transportes.
10) Com essa concentração de leilão, poderíamos almejar a vinda de compradores estrangeiros, já que eles não ficarão aqui por mais de três dias e poderiam agendar o compromisso com um ano de antecedência, como o fazem nos mais importantes leilões de PSI no mundo.
11) Haveria economia tambem na divulgação do evento, já que teríamos um só catálogo, uma só data e todos os custos fixos seriam divididos por um maior número de cabeças.
12) Havendo um lote grande de potros, é sempre mais fácil se conseguir patrocinadores e anunciantes, pois uma coisa é você anunciar num evento de 40 potros e outra será num evento de 500 ou mais potros.
13) Para se chegar ao PEEAB, além de carro, táxi ou ônibus, você poderia ir no metrô de superfície que sai de Porto Alegre até Novo Hamburgo com parada na estação Esteio, onde se localiza o parque, durante todo o dia, nos dois sentidos.
14) Outras informações sobre o PEEAB poderão ser obtidas no site oficial (http://www.parqueassisbrasil.rs.gov.br/inicial).
15) É evidente que a ABCPCC é quem poderia coordenar todo o leilão nos moldes das duas etapas que existem hoje no JCSP e JCB. As regras de quem ficaria no primeiro dia e nos dias subsequentes poderiam seguir os mesmos padrões utilizados atualmente pela ABCPCC.
Enfim, salvo algum esquecimento, aí está em linhas gerais o local que reúne as melhores condições de logística para sediar um evento deste porte no Brasil.

* Patrocínio - Stud Smith de Vasconcellos, Stud H & R, Stud Magic Island, Haras Tango e Haras Santa Rita da Serra.

 

 

 
 

© 2018 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.