RETROSPECTIVA DA CANCHA RETA 2021
Marcel Bacelo

O ano de 2021 foi agitado durante a pandemia, com muitas indefinições e incertezas, se teríamos ou não as datas confirmadas das corridas. Como ninguém consegue fazer nada sozinho, muitos me ajudaram mandando importantes informações, entre eles o Marcos Martins, o Candoquinha, Tonho Palharini, Luis Felipe Pelanda, Roque e Joel do Canchareta.com, Juliano da 4k Filmagens, Osni do Osni Som, as divulgações dos integrantes nos grupos de whatsapps, além é claro do espaço no Blog cedido pelo Renato Gameiro.
Tudo começo em Carazinho, com a realização dos GP Abertura da Temporada 2021, GP Edemar Machado Leite e GP Antônio Pedro Palharini, vencidos pelo Old School, Sixpress e New Silver Talk, respectivamente.
E ano terminou com disputas em Lages, Pelotas e Irati, tendo como vencedores Hello Moto, Badu Bryan e Amigo-Rap, respectivamente.
Tive a oportunidade de cobrir 76 corridas que aconteceram em 30 cidades dos Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Destaque para Carazinho com 14 corridas realizadas, Palmeira das Missões - 8 e Rio Pardo - 7.
Foram apostados mais de R$ 15 milhões, sem contar os valores jogados pelos grupos de whatsapps, que se somados certamente ultrapassaremos a casa dos R$ 30 milhões.
A disputa pela liderança de maior reprodutor do ano por número de vitórias foi incrível, mas no final o Desejado Thunder levou a melhor com 14 vitórias contra 11 de Tiger Heart. Em terceiro lugar finalizou o Wired Bryan, com 6 vitórias. Taludo, Mig, Certo e Billion Dollar empataram logo a seguir com 4 vitórias, cada.


Desejado Thunder partiu cedo demais


A tribo paterna dos Northern Dancers - além de ter os três líderes entre os reprodutores, dominou entre as disputas com 38 vitórias, ou seja, a metade das corridas. Destes 38 triunfos, cabe destacar as 19 conquistas pelo ramo de Storm Cat. Para se ter uma ideia da força dos Storm Cats, todos os descendentes de Mr. Prospector ganharam 18 carreiras.
Entre os avós maternos o líder foi o Blade Prospector, com 11 primeiros, seguido pelo Artax, Cord e Minstrel Glory, todos com 4 vitórias.
Se entre os reprodutores Northern Dancer liderou, na tribo dos avós maternos os Mr. Prospectors deram o “troco” com 34 vitórias contra 18 dos netos da tribo dos Northern Dancers.
Entre os criadores, os pupilos do Haras Ponta Porã alcançaram 15 êxitos, ficando em 2º o Haras América do Sul com 5, com os Haras Rio Iguassu e Bagé Horse empatados em 3º, com 4.
Um importante parênteses: é inegável a contribuição do Haras Ponta Porã para a Cancha Reta brasileira, pois além de ser o criador com o maior número de vitórias, foi o responsável pelo sucesso de Desejado Thunder (reprodutor) e Blade Prospector (avô materno).
Entre os proprietários a liderança ficou com o Stud Dullins com 7 vitórias - que começou o ano de forma avassaladora e no final arrefeceram. A seguir o Haras Rio Iguassu com 4 triunfos e Altair de Lima e o Stud Speed Two, ambos com 3 vitórias.
Entre os treinadores destaque para o Ivo Oliveira (Toco) com 4 vitórias, com o M.Oliveira e o R.Rodrigues vencendo em 3 oportunidades.
Leonardo Leotti foi o campeão entre os jóqueis com 7 êxitos, seguido pelo R.Verli com 5, e empatados com 4 o trio M.Silva, U.Silva e G.Fagundes.


Leonardo Leotti


Já entre as famílias maternas se destacaram a 9-b, 9-f e 3-f com 4 vitórias; e a 10-c, 1-b, 1-w, 21-a, 2-n e 4-m com 3 vitórias.
Parabéns aos destaques da Cancha Reta brasileira em 2021: Desejado Thunder, Blade Prospector, Haras Ponta Porã, Stud Dullins, Ivo Oliveira e L.Leotti.
Em 2022, teremos muito mais. Até breve e um grande abraço virtual.

 

   
     


© 2020 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.