Milton Lodi
 
 
 

PROFISSIONAIS DO TURFE CARIOCA

A- O ótimo jóquei Marcello Cardoso, após uma campanha nas pistas numerosa em importantes realizações, entre elas duas vitórias no GP Brasil, além de colocações internacionais como um brilhante 4º lugar em um Latino promovido no Chile, ainda em plena forma decidiu parar de montar. Foi logo contratado pela Escola de Jóqueis do JCB, na posição de Superintendente, como orientador técnico dos alunos e aprendizes. O sucesso foi imediato e absoluto, e a escola é na prática uma fábrica de bons jóqueis. Ele dá uma assistência técnica direta, muitas vezes participando nas provas preparatórias dos alunos. Mas veio uma saudade, provocada por um surpreendente convite para montar no GP Brasil de 2018. Marcello Cardoso desligou-se da Escola e também da função de Comissário de Corridas por cerca de dois meses, para ter tempo para preparar-se fisicamente, e montar em alguns páreos para ele preparatórios. Venceu três ou quatro corridas, para montar em boas condições o cavalo Olimpo, que correria com outro cavalo do mesmo treinador, que estava montando em caráter preferencial. Mas cerca de 15 dias antes do GP, o cavalo a ser montado pelo jóquei preferencial teve um contratempo, e ficou impossibilitado de correr. Naturalmente, o jóquei preferencial ficou com a montaria de Olimpo. Marcello, então, voltou da sua volta ao passado na semana anterior do GP Brasil. Olimpo correu muito bem, foi 4º com o ótimo Vagner Borges. Com isso, a Escola de Jóqueis voltou a contar com o seu superintendente técnico, e a Comissão de Corridas com o seu eficiente Comissário no julgamento das corridas.


Vagner Borges está voando - JCB


B- A vinda da Argentina de Francisco Leandro e Jorge Ricardo para participarem do GP Brasil foi um detalhe importante e muito prazeroso. Leandro, desde que foi de Cidade Jardim para Buenos Aires, assumiu a liderança das estatísticas, e só a perdeu um ano, quando ficou afastado das pistas por muitos meses em consequência de um acidente. É um jóquei de alta qualidade. Só para exemplificar, no presente ano de 2018, a partir do mês de janeiro, vai na frente com cerca de 40 vitórias sobre o 2º colocado. Veio montar um cavalo do prestigiado Haras Regina, um dos principais candidatos, que infelizmente não correspondeu, chegando descolocado. Quanto a Jorge Ricardo, o nosso campeão mundial que está a cerca de 115 vitórias para alcançar a meta de 13.000 êxitos que seria o encerramento da sua brilhantíssima campanha nas pistas (digo seria porquê de Jorge Ricardo tudo pode se esperar) teve mais sorte. Montando Arrocha, treinado pelo ótimo Roberto Solanes, provável treinador campeão da estatística 2017/2018, com percurso limpo e sem prejuízos, na entrada da reta final, vindo da quarta posição, assumiu a liderança e resistiu bravamente os ataques de um forte grupo que o assediava, perdendo a ponta nos últimos saltos, e por cabeça, chegando em um ótimo 2º lugar. Foi um final muito emocionante.


Roberto Solanes - JCB

C- Faltando cerca de meio mês para o encerramento das estatísticas de 2017/2018, tudo leva a crer que os profissionais campeões serão Roberto Solanes entre os treinadores e Vagner Borges entre os jóqueis. Roberto Solanés treina no Centro de Treinamento Verde e Preto, de propriedade do pai Gilberto Solanes. O avô e o pai do provável campeão foram turfistas de primeira linha, e agora neto e filho, um dos treinadores mais novos, após uns poucos anos de muito sucesso, deve ser o vencedor como o melhor ou mais eficiente. No setor de jóqueis, mais um egresso da Escola de Jóqueis do JCB deverá vencer. Vagner Borges foi líder quando aprendiz, e depois de um bom tempo brilhante, ficou sem brilho durante um período, mas recuperou-se muito bem nessa temporada, e voltou com muitos méritos, em função de grandes qualidades.

 

 
 

© 2018 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.