Newton Domingues Kalil
 
kalil@ksir.com.br
 
 

HIPÓDROMO DO CRISTAL

RESPEITO AO TURFE: UMA LEMBRANÇA TAÇA DE CRISTAL: ATRAÇÃO DA SEMANA

* Quando da realização do GP Brasil (G.1) - ficou plasmada a liderança do Jockey Club Brasileiro no turfe do país, pois evidente que o esforço da sua diretoria e do profissionalismo da PMU trouxe novos ares ao Hipódromo da Gávea sendo visto um novo público em seus pavilhões especiais que nas edições anteriores não recebiam quase ninguém, além de se verificar no pavilhão social e no dos profissionais um entusiasmo acima da média.


Desejada Naka - Trotta Fotos

* Observando a movimentação no pavilhão principal, a presença de algumas autoridades e convidados que apesar de não possuírem muita vinculação ao turfe, atenderam ao convite efetuado e compareceram por compreenderem a importância do evento, a tradição do esporte o que ele em determinada época representou para os cariocas e a nova perspectiva de dias alvissareiros.

* Faço estas considerações porque a Tribuna Especial da Gávea chama atenção pelas cabeças que a frequentam nestas ocasiões e, principalmente, aquelas vinculadas há muitas décadas no turfe e que trazem recordações importantes aos que frequentam aqueles ambientes que enobrecem o cavalo de corrida.


Emix Wild - Trotta Fotos

* Desde criança compareço ao GP Brasil, algumas vezes com a expectativa de animais da família e amigos, outras tantas simplesmente entusiasmado com o turfe, mas sempre tendo presente os nomes essenciais ao esporte e que construíram sua história naquele clima propício por ser a capital do país e, posteriormente, por representar o que há de bom na alma brasileira.

* Entre as principais figuras que aprendi a respeitar nesses momentos, não está nenhum carioca ou paulista de primordial importância ao turfe, nem um grande criador ou proprietário, mas uma figura umbilicalmente ligada ao turfe brasileiro e seus melhores momentos, conhecedor profundo da atividade no mundo inteiro e das melhores estirpes e que apaixona a quem possui o prazer de ouvi-lo falar do turfe, suas particularidades, os princípios da criação e o desenvolvimento de uma campanha nas pistas.


Luiz Fernando Cirne Lima - JCB

* Associo estes fatos quando nas minhas recordações infantis recordo da visão daquele jovem impositivo - que vim a saber depois de tradicional e honrada família gaúcha - frequentar os maiores criadores e proprietários do Rio Grande ainda no Moinhos de Vento e que desde aquela época transmitia seriedade e convicção, distribuía sua inteligência e profissionalismo no meio de homens bem sucedidos e que viviam as emoções de período marcante na atividade turfística.

* Posteriormente, independente do exitoso exercício profissional, o turfista de escol Luiz Fernando Cirne Lima, foi guindado ao posto de Ministro da Agricultura e cultuado em todos os hipódromos brasileiros através de suas chamadas clássicas granjeando inúmeras amizades e admiradores pela sua postura, retidão, ponderação e correção.

* Sinto falta do ministro nos eventos do GP Brasil há muitos anos, mas continuo agradecido pelo que faz pelo turfe, pelas suas colocações sobre cruzamentos e análises a respeito da atuação de animais e profissionais de todas as latitudes e, particularmente, da forma como ele deu e continua dando consistência ao Jockey Club do Rio Grande do Sul para manter a luta pelo desenvolvimento das corridas de cavalo e do turfe em geral.

* A liderança discreta e permanente que exerce entre nós é motivo de encorajamento para todos continuarem procurando o reenquadramento do turfe como atividade de importância no desenvolvimento brasileiro.

* Trago esta lembrança nesta hora em que o país passa pelo momento de revisarmos conceitos a respeito de homens que muito representaram e que são contestados pelos mais diversos motivos e o Dr. Cirne Lima, ao contrário, só tem a engrandecer com seu exemplo a convivência dele com todos nós.

* A reunião desta semana no Cristal será festiva. Ao contrário dos outros anos em que a Taça de Cristal - versão machos e fêmeas - era corrida na última semana da temporada, em 2017 será neste sábado, 24, deixando o encerramento para uma jornada de menos brilho.

* A decisão da Tríplice Coroa Juvenil é aguardada com muita atenção, pois dois novos candidatos podem conseguir o galardão nas duas taças. Entre os machos, o líder inconteste Nadador Lô (Crimson Tide) parece não ter adversários para a milha da versão masculina uma vez que em suas exibições anteriores venceu com muita autoridade. A prova atraiu 12 competidores. Entre os inscritos, impressionou em vitória na milha com pista encharcada, Don Paschoal (Crafty C. T.) e, além deste, são falados Desejado D’Anafer (Desejado Thunder) - quer ir à desforra - Ganache (Inexplicable), Public Job (Public Speaker) e Fermento Em Pó (Wild Event).

* No que concerne às potrancas, o favoritismo, também tranquilo, é de Perfect Bullet (Benny The Bull e Next To Perfection por Royal Academy), candidatíssima ao tríplice troféu. Sua irmã paterna, Argona é espada dos seus proprietários, assim como a companheira de farda da favorita, Lady Kesha (Tiger Heart), de muita boa exibição na prova anterior. É esperada melhor exibição de Fofolete (Put It Back) e Condessa D’Ita (Marsh Side) pode surpreender.

* A reunião anterior do Cristal foi realizada na sexta-feira, em pista de areia macia e 8 páreos. O Movimento Geral de Apostas de R$ 106.494,33 concedeu uma média superior aos R$ 13 mil, dando um alento de que as apostas possam subir a patamares mais elevados.

* As duas principais provas não tiveram os favoritos como ganhadores, mas tiveram resultados significativos pela qualidade dos vitoriosos.

* O Clássico Almirante Marquês de Tamandaré - Comparação de Machos - viu a vitória do alazão de 3 anos, Emix Wild (Wild Event e Remix por Lode), criação do Haras Santa Maria de Araras e propriedade do Dr. Alberto J. Tiellet Miorim. Lucas Conceição produziu grande atuação no dorso do vencedor, preparado com esmero pelo Alcione F. Chaves. Muita boa a atuação do segundo colocado For Them (Bonapartiste) que vendeu caro a derrota. Fraco foi o desempenho de Jovem D’Alessandro (Point Given) que, parece, estranhou a parceria. De qualquer forma este resultado remete para o GP Protetora do Turfe na primeira semana de setembro, a certeza de mais um bom espetáculo. O tempo foi de 2’12”3. 

* No Comparação de Fêmeas - Clássico Duque de Caxias -, com o tempo de 2’12”3, largando e chegando na ponta, Desejada Naka (First American e Nakarova por Thunder Gulch), derrotou a favorita Amada Alada (Mensageiro Alado) que juntamente com Dark Force (Public Force), acompanhou a vencedora até faltarem 200m. Puro Êxtase (Wild Event) e Janglin (Cape Town) completaram o marcador premiado. Just Havin’Fun (Setembro Chove), não gostou da distância. Também conduzida com primor por Lucas Conceição e o treinamento de Adriano Soares a laureada é criação do Stud Alvarenga e propriedade da Coudelaria F.B.L..

 
 

© 2017 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.