GP GOIÁS 2018, MAIS UMA FESTA DO TURFE
Mario Márquez

Quem acha que o turfe brasileiro se resume aos 4 hipódromos oficiais está enganado.
Quem nunca foi a uma “penca” não sabe a realidade e a força que o PSI exibe quase que semanalmente em diversas cancha retas pelo Brasil afora.
Quem não conhece os hipódromos regionais também não pode avaliar o quanto a raça é forte em outros centos, ou o quanto uma corrida de cavalos desperta de emoção e paixão nos incontáveis aficionados espalhados pelos 4 cantos do país.
Estive em Santo Augusto, assistindo à penca daquela cidade, e mesmo abaixo de chuva e frio as pessoas se acotovelaram e vibravam à beira da pista para assistir às disputas. As apostas e a quantidade de turfistas, a organização da festa, a recepção aos convidados, tudo transcorreu maravilhosamente bem.
Na semana seguinte fui a Goiânia, assistir ao tradicional GP Goiás. Saí de lá muito bem impressionado, e por várias razões. Primeiramente pela recepção: todas – absolutamente todas – as pessoas que conheci foram de extrema delicadeza e simpatia. Tudo começou com uma festa 6ª à noite, patrocinada pelo campeão das últimas estatísticas (e atual líder) Stud Tigrão. O ágape teve início às 19 horas e terminou às 4 da manhã de sábado! Aconteceu no 3º andar da social, um espaço arrendado pelo stud, com música ao vivo e amistosa confraternização de grande número turfistas com suas famílias, inclusive de proprietários de cavalos que no dia seguinte seriam rivais do favorito do GP, Itapeba (Crafty C.T./Valente), que defende as cores alvirrubras do Stud Tigrão.
O Jockey Club de Goiás ocupa uma área altamente valorizada, a pista me pareceu muito boa, as cercas estão bem pintadas, assim como o prédio da Comissão de Corridas. A carta patente local é a mais antiga do Brasil, segundo me informaram. O caminho das cocheiras até o padoque passa pela frente das arquibancadas (similar ao que se vê em Maroñas), e a cerca externa fica muito próxima dos turfistas, o que por certo colabora para que entusiasmo destes seja contagiante, e parecer aumentar a cada páreo disputado.
Quando cheguei ao Hipódromo Ubirajara Ramos Caiado, que fica literalmente dentro da cidade, faltavam poucos minutos para o 1º páreo, carreira em que a Agência TBS foi homenageada, e na qual me coube a honrosa tarefa de entregar os troféus e medalhas aos vencedores. A casa já estava cheia. Boa música, apostas normais de vencedor, placê e dupla e um animado jogo de arremates (que lá são conhecidos como “leilão”), enquanto uma multidão incluindo mulheres e crianças passeavam pela “pelouse”, indo e vindo ao bem montado padoque, e saboreavam os saborosos sorvetes locais, entre outros quitutes.
As corridas transcorreram normalmente, com apenas uma intervenção da Comissão de Corridas, sem qualquer contestação. Achei muito bom o locutor de turfe, que mesmo sem binóculos transmitia com clareza e intercalando expressões turfísticas peculiares.
Na prova principal, a vitória sorriu ao animal que me pareceu o mais bonito no cânter, Super Birthday. O filho de Vettori, criação Old Friends Ltda e propriedade do Stud Antonella & Esther, apresentado em forma reluzente por J.Rodrigues e muito bem conduzido por N.Sousa. O grandalhão, após bonita luta, bateu ao seu companheiro de criação Qua Qua Qua, que segue inesgotável aos 10 anos, dando trabalho aos mais novos pelo Brasil afora. O favorito Itapeba, que teve alguns atrapalhos na largada e sofreu com os 6 meses de ausência e os 1.300 Km de estrada desde a Gávea, finalizou em 3º, próximo.
Em tudo, me chamou a atenção o clima entre os turfistas: rivais se cumprimentando antes e depois dos páreos, uma competitividade positiva, como deveria sempre ser a atmosfera turfística. Um ambiente de amizade, disputas saudáveis, confraternização geral. A mim, que não conhecia nem a cidade (limpa, organizada, muito acolhedora), foi uma sucessão de boas surpresas!
Espero voltar em breve para acompanhar mais um GP na Lagoinha, mas não posso deixar de aqui agradecer nominalmente às pessoas que tão bem me receberam em Goiânia. Por ordem alfabética: Adriano, Anselmo, Beto, Bruno Hernandes, Edmundo, Geraldo, Durval, Edinho, Erica, Jorge, Leopoldo, Mauricio, Noé, Paulinho, Pipoca, Raphael, Ricardo, Sobeida, Thales, Vicente, Wallace e Wallace Filho (este da novíssima geração de turfistas). Se esqueci de alguém, peço mil desculpas!
Um abraço especial vai para o meu caro amigo Bruno Mano Rodrigues, titular do Stud Tigrão, juntamente com os Wallace (pai e filho). Ele foi o idealizador e o anfitrião em toda essa agradável viagem, e a ele envio meu melhor agradecimento.


Vista parcial do Hipódromo da Lagoinha - O Hoje

 

RESULTADOS DE SÁBADO (6/10) - REUNIÃO Nº 5

1º Páreo – 1.100m. 1º Oceans (M.Macedo); 2º Louca Louca; 3º New Money. N/C: Fiesta Pátria. T: 1’09”22.

2º Páreo – 1.300m. 1º Loira Turbinada (G.Gouveia); 2º Lava Jato; 3º Baruk do Jaguarete. T: 1’20”53.

3º Páreo – 1.200m. 1º Generale (J.Divino); 2º Ouro; 3º Indujo Amor. T: 1’13”09.

4º Páreo – 2.000m. 1º Super Birthday (N.Souza - Vettori/Hs Old Friends Ltda); 2º Fearofgod; 3º Allez-Nora. T: 2’08”31 (novo recorde).

5º Páreo – 400m. 1º Red Rock Pepper (N.Souza - Red Rock Canyon); 2º Trovão Zafa; 3º Jotaerre. T: 23”14.

Pista: Areia Leve.
Apostas: Não Fornecido.

 

 

 
 

© 2018 - Jornal do Turfe Ltda.
Copyright Jornal do Turfe. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Jornal do Turfe.